Absente / Vídeo Performance 2020 / Tempo: 5 min 23 seg

Vitória Albuquerque dança o cotidiano em Absente. Sinônimo de afastado de algum lugar, não presente, ausente, aborda uma corporeidade presa na teia do tempo. A artista performa em um espaço doméstico, expondo o momento presente, onde, isolados, traçamos caminhos infindáveis nos cômodos de nossas residências. O tilintar do ponteiro do relógio, as mensagens no telefone celular que chegam toda hora, aparecem conectadas a um fio elástico, ao corpo movente da artista. A fala é reflexiva e questionadora. Absente constrói um elo com nosso olhar, em um país onde o artista periférico encontra tanta dificuldade de ser visto. Vemos uma tela ou fragmentos retangulares que dançam junto com a artista, em movimentos ininterruptos, a aflição do viver. Vitória Albuquerque mostra que, mesmo cerceados, nossos corpos são potentes, dançantes, livres e que por meio da arte podemos encontrar uma rota de fuga para a rotina acachapante. 

Texto da Curadora Mariana Maia.


Audiodescrição do trabalho


Vitória Albuquerque é moradora da baixada fluminense, Técnica em Dança, pela FAETEC e graduanda do Bacharelado em Teoria da Dança na UFRJ. Foi bolsista de Iniciação Artística do projeto “A Poética das Situações do Corpo no Espaço”, em 2017 e ganhadora do Prêmio Petrobrás FIL Inovação, em 2017. Participa da Companhia de Dança Contemporânea da UFRJ, desde 2017 e idealizou o Festival Artes em Rede UFRJ, apoiado pelo edital PR7/Decult n°.88/2019. Atua com dança, performance e processos híbridos de criação artística a partir do corpo.